Menu

A Grande Revelação da Páscoa

“Eis o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo”

Páscoa: essa é a data mais importante da cristandade, uma vez que foi na Páscoa que se cumpriram as Escrituras que prometiam a vinda de um sacrifício definitivo, que viria substituir os sacrifícios temporários de animais realizados durante todo o período da Lei, conforme relatado nos escritos do Antigo Testamento.
Dos cinco sacrifícios previstos no livro de Levítico, quatro envolviam a morte de animais. Esses sacrifícios tinham algumas funções diferentes, mas a principal era o perdão de pecados. O problema era que esse perdão era provisório, temporário, não definitivo e por causa da sua precariedade, o sacrifício necessitava ser repetido vez após vez.

Quando João Batista viu a Jesus pela primeira vez, declarou: “Eis o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo” (João 1 : 29).
Segundo nos conta a história, foi o entendimento dessa mesma revelação que fez com que Martinho Lutero obtivesse uma nova perspectiva a respeito da vida cristã. Até então ele era um monge guiado pelo medo. Em seus escritos, ele nos conta que até receber o entendimento de que Jesus é o Cordeiro que TIRA o pecado, não simplesmente um cordeiro que oculta o pecado temporariamente, sua vida era um tormento. A visão de um Deus absolutamente santo e de sua própria pecaminosidade lhe provocava crises de pavor. Ele afirmou que naquele tempo, enxergava o pecado e não a graça, considerava somente a severidade e não a bondade de Deus. Mas, ao ver na Palavra que Jesus se fez pecado, para que nós fossemos feitos justiça de Deus (2 Coríntios 5 : 19 – 21), ele entendeu que na cruz TODOS os nossos pecados foram perdoados, porque ali Jesus estava destruindo, aniquilando a NATUREZA PECAMINOSA, ou seja, a RAIZ DO PECADO. Naquela cruz houve uma substituição: Jesus tomou o nosso lugar, recebeu a nossa condenação e punição de morte, para que não fôssemos mais condenados e recebêssemos a justiça, a justificação que somente Ele poderia receber. Essa é a revelação da graça. Essa é a grande revelação da Páscoa. Esse é o grande motivo da celebração: na cruz do calvário, Jesus se tornou pecado em nosso lugar e nos fez justos aos olhos do Pai. Na cruz foi realizado o último e único sacrifício que poderia aplacar definitivamente a ira de Deus contra o pecado. Por isso hoje você pode celebrar. Deus já não tem nada contra você. O preço e a pena do pecado foram pagos por Jesus, e hoje você pode confiar que Deus te ama profundamente, incondicionalmente, sem qualquer sombra de dúvida, sem qualquer senão, sem qualquer possibilidade de retroceder, porque o trabalho de Jesus naquela cruz foi completo e perfeito.